terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Conchi, Castro e Isla Lemuy




Casas típicas de Conchi
Depois de acampar na Isla Quinchao voltamos a estrada para pegar carona e fomos ate Conchi que é uma bonita vila e depois de conhecer um pouco a vila fomos caminhando ate o Ferry Boat(ja que dessa vez nao conseguimos carona) para passar para a Isla Lemuy onde seguindo os conselhos do Waio acampamos depois do cemitério da cidade ontem tem uma área muito bonita e de frente para o mar e depois de preparar as barracas fomos comprar vinho para afastar um pouco esse frio e quando ja tinhamos tomado 3 garrafas de vinho olhamos um grupo de adolescente fazendo outra festa no lado do nosso acampamento e a Fany e eu fomos convida-los para se juntar a nós e o mais interessante que no meio da festa eles escutaram um barulho na floresta e ficaram com muito medo pensando que era o tal do Trauco e depois disso a coisa ficou tensa para os nossos novos amigos e eles resolveram ir para a casa por causa do Trauco e foram pensando que esses 3 gringos são doidos por não terem medo do Trauco.
Igreja construida com Tejuela em Conchi
No outro dia depois de levantar com uma ressaca doida e com uma quantidade enorme de vacas curiosa nos olhando um pouco estranho, pegamos uma carona ate Castro e depois de da uma volta pegamos um ônibus para Dalcahue (depois de uma rapida negociacao pagamos 350 Pesos Chilenos) para ir a feira de domingo que é muito conhecida nessa região e depois aproveitamos para comer o famoso Curanto (4.000 Pesos Chilenos) que é um prato típico da região.


Igreja de Castro
Castro é a capital de Chiloé e é bem conhecida pelas suas palafitas o preço da passagem de Castro para Ancud de onibus custa 1.500 Pesos Chilenos e demora cerca de 90 minutos. Depois da feira em Dalcahue voltamos de ônibus para Ancud que custou 1.300 Pesos Chilenos
Curanto 



Ancud, Dalcahue e Isla Quinchao - Chiloe




Vista da casa do Waio



Saímos de Puerto Montt e pegamos carona ate Ancud (de onibus custa 3.000 Pesos Chilenos e dura cerca de 2:30 hs) ja dentro da ilha de Chiloe ficamos na casa de um amigo do Hospitality (Waio) que  mora em uma casa com uma vista muito linda para a praia.
Trauco
 Chiloé é um arquipélago composto de 40 ilhas onde tem como Castro e Ancud como principais cidades, a paisagem e a atmosfera de Chiloé são diferentes do Chile acredito que por esta separado do resto do continente fez com que a região se desenvolvesse de uma maneira distinta do Chile. Chiloé é rica em lendas e supertiçoes como a Pincoya ou o Trauco que sai nas noites a procura de moças solteiras e despois de 9 meses se pode ver o resultado dessa busca.
Igreja típica feita com tejuelas

Ancud é a cidade mais populosa da ilha com 27 mil habitantes tendo assim como toda a ilha casas feitas de tejuelas que são "telhas" de madeira sobreposto uma na outra, as tejuelas foi introduzida pelos alemães que chegaram a região no final do seculo 19, sendo de varias formas os desenhos geometricos das tejuelas
Fuerte San Antonio

No nosso primeiro dia caminhamos pela praia(Arena Gruesa) e fomos olhar o Fuerte San Antonio, tambem passamos pelo Mercado e no segundo dia fomos no carro do pai do Waio para a Pinguineras de Puñihuil que esta como uns 35 minutos de Ancud e chegando na praia você tem que pegar uma lancha que cobra 5.000 Pesos Chilenos para olhar os Pinguins na ilha que esta como uns 100 metros da praia e no mês de dezembro, janeiro e fevereiro você pode pegar um tour para ver baleias e pagar o mero valor de 90.000 Pesos Chilenos (uma facada) e demora em torno de 3 horas. Depois da Pinguineras fomos olhar um casal de patos (Petrel no Volador) que não sabem voar e são bem exóticos e estao sempre entre a praia Mar Brava e Rosanra e depois voltamos para Ancud deslumbrado com a paisagem pelo caminho.
Pato Petrel no Volador

Depois de 2 dias em Ancud fomos de carona ate Dalcahue e depois tomamos o ferry boat ate a Ilha Quinchao, onde pegamos carona ate a vila de Quinchao que acredito não tenha mais do que 500 pessoas e com uma igreja de arquitetura bem interessante e depois fomos falar com um camponês para podermos acampar em sua terra e encontramos um lugar lindo para acampar.
Lugar que Acampamos
  No outro dia regressamos ao inicio da Isla Quinchao para Achao e quando chegamos estava tendo uma festa tipica chamada Fiesta del Cordero e acabamos tomando um vinho e provando o cordero
Fiesta del Cordero

domingo, 11 de dezembro de 2011

Puerto Montt la Capital del Sur Austral

Vulcão em Erupção

Depois de quase se acabar de fazer churrasco de mariscos na casa do Matthieu e de aprender a fazer e também tomar o melhor pisco do Chile pegamos a mochila e junto com o Gil e Fany fomos para Puerto Montt mais dessa vez sem pagar ônibus (o ônibus custa 2.700 Pesos Chilenos) e sim pegando carona na rodovia e que não demorou muito e logo conseguimos uma carona ate a Panamericana e quando fomos nos despedir da nossa carona achei interessante em vez de apertar a mão ele abraçou todos e desejou uma otima viagem, agora entendo porque o sul do chile tem a fama de ter pessoas muito hospitaleiras e logo depois pegamos outra carona ate Osorno e de Osorno ate Puerto Montt passamos por um vulcão que esta em erupção e chegando em Puerto Montt pegamos um táxi que custou 650 Pesos Chilenos ate a casa do Ricardo ("couch").
Puerto Montt
Puerto Montt é uma cidade bonita com uma  população de cerca de 175 mil habitantes onde o moderno se junta com as construções antigas e um dos pontos mais interessantes para conhecer é o Mercado de Mariscos e Pescados que fica na região Angelmó onde além da venda de mariscos e pescados tem uma feira de artesanatos e se tiver um pouco de sorte você pode olhar leões marinhos do lado do mercado e no meu caso olhei dois e estavam em pleno romance e outra atração é a Isla Tenglo que fica cerca de 150 metros da cidade. 
Vista da Casa do Ricardo
A casa onde ficamos tinha uma vista linda para o vulcão e junto com o Ricardo e o seu amigo o Hugo  fomos conhecer a cidade e uma região das praias um pouco distante da cidade onde começa a Carretera Austral e tem uma paisagem linda. Acredito que o ponto mais turistico dessa região seja Puerto Varas de forte colonização da Alemanhia, mas que por motivos de tempo so vamos conhecer essa cidade quando voltamos do Ushuaia ja que vamos para a Argentina nos encontrar com mais amigos do Gil e a Fany
Um Romance Marinho

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Niebla, Corral e a Reserva Costera Valdiviana

Depois de um dia em Valdivia tomamos um coletivo para a Playa Rosada (800 Pesos Chilenos) que fica um pouco depois de Los Molinos (perto de Neibla) e ficamos na casa de um casal do "couch" (Matthieu e Amanda) e depois conhecemos mais um mochileiro o Zack (www.zackkruzins.com ) do Canada que junto com ele e meus novos amigos franceses fomos fazer os passeios juntos e o primeiro foi pela Playa Rosada onde o Matthieu tem uma casa com uma linda vista para a praia. No segundo viajamos de carona para Neibla e depois tomamos um ferry boat que custou 500 Pesos Chilenos e chegamos em Corral e depois fomos para a estrada para pegar carona para a Reserva Costera Valdiviana que fica como cerca de 1 hora de Corral e o caminho tem uma paisagem linda com uma estrada não pavimentada e chegando na Reserva a entrada é gratuita e fomos caminhar pela praia e o Zack e eu fomos escalar algumas rochas na beira do mar e depois fizemos um caminho de trilha e na volta conseguimos outra vez pegar uma carona em uma camionete direto para Corral.

No outro dia fomos comprar marisco em Los Molinos e aproveitamos para conhecer as praias e o povoado que esta como uns 15 minutos caminhando da Playa Rosada e depois fomos a Neibla que esta a 17km de Valdivia e tem lindas paisagens e é um conhecido balneario para as pessoas de Valdivia

domingo, 4 de dezembro de 2011

Valdivia

Chegando em Valdivia fui com os meus amigos caminhando do terminal ate a casa da nossa "couch" Marcia e depois fomos da uma volta na cidade onde conhecemos o Mercado Fluvial que fica as margens do Rio Valdivia na qual se pode encontra maricos e pescados da região fresco por um bom preço e também dependendo da hora da para ver os Leões Marinhos em busca das sobras dos pescados, mas caso você não olhe nenhum pode ir caminhando no sentido da direita da beira do rio que você vai encontrar uma boa quantidade de Leõnes Marinhos disputando um pequeno espaço. 


Outras atrações: a rua General  Lagos com suas típicas casas de construção Aleman; Plaza de Armas; Torreón del Barro; Torreón los Canelos e provar a típica cerveja de Valdivia que é a Kunstmann ou comer uma comida típica que são os crudos que é uma carne crua. 


Valdivia tem uma populacao de 140 mil habitantes e é uma das cidades mas belas do Chile onde na década de 60 teve um grande terremoto que foi de 9,5 na escala Richter, sendo considerado o maior terremoto registrado na historia e fez com que a cidade tenha afundado 2 metros depois disso. Cerca do Mercado Fluvial existe um posto de informação turística onde tem um mapa da cidade e algumas coisas da região. 

domingo, 27 de novembro de 2011

Temuco a Capital dos Mapuche, Pucón e Villarica





       Depois de me despedi de minha "couch" em Concepcion peguei um coletivo para o terminal (500 Pesos Chilenos) e comprei uma passagem por 3.900 Pesos Chilenos para Temuco, chegando lá fui caminhando do terminal da Bio Bio (Tur Bus) até a casa de minha "couch" Lorena. Temuco é considerada a capital Mapuche com uma população de 240 mil habitantes e lembra um pouco as cidades do interior de São Paulo que tiveram um crescimento ordenado com ruas limpas e um forte centro comercial e agora também universitário.





       Principais atrações na cidade: Cerro Ñielol que custa 1000 Pesos Chilenos para  estrangeiros, aconselho a visita para quem gosta de caminhar em trilhas no meio do bosque e ver uma linda vista da cidade este mirante é o lugar certo; Mercado Municipal onde tem uma feira artesanal da cultura Mapuche com artesanato de madeira e prata, uns ótimos restaurantes com mariscos, pescados frescos e também algumas coisas pitorescas como cabeça de porcos a venda; Galeria de Arte que fica na Plaza Anibal Pinto (Internet Wi Fi grátis) com entrada gratuita; Estadio Bicentenario German Becker onde tem um parque ao lado com entrada gratuita; Museo Regional de La Araucania sua entrada custa 600 Pesos Chilenos onde tem um pouco da cultura da região e dos Mapuches e para quem gosta de fazer compras ou ver um pouco o poder aquisitivo da classe média chilena uma boa dica é andar pela Avenida Alemania e depois entrar no Mall Portal Temuco (com Internet Wi-Fi grátis). 


       No meu primeiro dia na cidade fui jogar voleibol com a minha amigo do "couch" Lorena  junto com suas amigas e confesso que no outro dia acordei quebrado com dores nos braços e pernas pois faziam décadas que não jogava. Para quem gosta de comidas regionais existem alguns restaurantes Mapuches com diversos pratos tipicos como a carne de charque que tem sabor um pouco similar a nossa mas é feita com carne de cavalo e eles não retiram o sal na hora do preparo.

       Na casa de Lorena conheci um casal de franceses (Gil e Fany) que estão viajando pela America do Sul também e acabamos junto com a Paulina alugando um carro para conhecer o Parque Nacional Huerquehue e o Parque Nacional Conguillio que custou 22.000 Pesos Chilenos (www.verschae.cl) por dia e a gasolina saiu por 30.000 Pesos Chilenos.



       No primeiro dia de viagem de carro fomos para Villarica e depois Pucón que é uma cidade bonita e considerada a "Barriloche Chilena" onde conhecemos o Ojos del Caburga que custou 1000 Pesos Chilenos a entrada e são algumas cachoeiras e o que mais gostei foi a Playa Blanca que fica perto de Pucón e realmente é lindo esse lugar, depois de conhecer esses lugares fomos ao Parque Nacional Huerquehue (não sei o valor da entrada pois como estava na baixa temporada não havia ninguem na entrada para cobrar e so gastamos com o camping que custou 6.000 Pesos Chilenos pela a área) que não me chamou muito a atenção e depois de acampamos nesse parque fomos ao parque Nacional Conguillio que assim como a Playa Blanca foi um dos lugares que mais gostei.

O Parque Nacional Conguillio custa 4.000 Pesos Chilenos para os estrangeiro e 2.000 Pesos Chilenos para os chilenos mais acabamos pagando 1.500 Pesos Chilenos cada um e o camping custa 18.000 Pesos Chilenos a área, mas como estava na baixa pagamos 10.000 Pesos Chilenos com agua muito gelada mas valeu a pena cada centavo pois a paisagem do parque é de tirar o fôlego tendo muitos lugares para conhecer e fazer trilha como Los Carpinteros, Sierra Nevada onde miramos um condor, há também a  paisagem na entrada do parque onde notasse bem a destruição do Vulcon Llaima quando entrou em erupção, outra atração são as Araucárias que estão por todas as partes e o Lago Conguillio...

Meus novos amigos franceses me convidaram a viajar juntos então partimos juntos para Valdivia no ônibus que custa 3.000 Pesos Chilenos mais com um "jeitinho frances"  paguei como estudante e custou 2.500 Pesos Chilenos. Coloquei a foto aqui da bandeira da Corsega pois achei interessante a historia que o meu novo amigo  Gil me contou pois a bandeira tem a cara de um escravo africano e a historia foi que quando a escravidão começou a chegar nesse lugar os camponeses se juntaram e fizeram uma rebelião e libertaram todos os escravos africanos acabando assim com a escravidão na região




Um outro lugar que pode ser interessante conhecer é Carahue que fica uns 20 minutos de ônibus de Temuco, onde tem um Museo de Maquinas a Vapor a ceu aberto e segundo as pessoas da cidade é a maior mostra mundial desse tipo e cerca do museo tem uma feira artesanal e também uma feira com comidas tipicas da região como o Cochayuyo que é uma alga da região que tem um ótimo sabor, tem a Nalca que é um talo de madeira que se come com sal e o Digueñes que são cogumelos muito apreciados pelos Mapuches e depois você pode tomar outro ônibus para o Puerto Saavedra que é um povoado de areia negra com um bonito mirador (Cerro Maule) em frente a praia.

Concepcion a Segunda Cidade mais Importante do Chile


       Concepcion tem uma população de cerca de 216 mil habitantes mas com a junção de outras cidades vizinhas a metrópole de Concepcion totaliza mais de 1 milhão de habitantes, sendo a segunda cidade mais importantes do país em razão de um desenvolvimento industrial na área de alimentos, celulose, pesca e um importante Centro Universitário. A cidade tem uma particularidade, é uma das poucas cidades do Chile que não existe a Plaza de Armas e sim a  Plaza de la Independencia onde Bernardo O`Higgins (filho de irlandeses) declarou a independência do pais no ano de 1818. Outra coisa interessante é ser uma das poucas cidades do Chile que não esta compacta então se você quiser andar de um lado para outro tem que pegar um ônibus ao contrario da maioria das outras cidades que, se você gosta de caminhar um pouco (como é o meu caso) nem precisa pegar um ônibus para circular por ela. 


      Concepcion não é uma cidade muito turística desta forma, não há muitas atrações, lá pode-se conhecer: o Parque Ecuador, Cerro Caracol, Cerro Amarillo, Plaza de la Independencia e Lota, essas atrações, menos Lota, estão perto da Plaza de la Independencia e podem ser conhecidas caminhando, a última atração é o rio Bio Bio (segundo rio mais largo do Chile) que durante muito tempo representou a divisão do império espanhol e dos Mapuches.



       No meu segundo dia em Concepcion peguei um coletivo para Lota que fica cerca de 50km por 700 Pesos Chilenos. Lota foi uma importante cidade para a extração do carvão e pode ser dividida em Lota baixa onde fica a vila de pescadores, local que vale a pena conhecer, lá existe uma feirinha dos pescadores onde se encontra de tudo como a Nalca que é uma comida típica dessa região que se come com sal, já na Lota alta ficam as minas, indústrias e alguns resíduos da sua época de carvão como a casa onde viviam as pessoas que trabalhavam com o carvão. Um importante ponto do turismo em Lota é a Mina Chiflón del Diablo que custa 4.000 Pesos Chilenos a visita.



sábado, 26 de novembro de 2011

Rancagua, Curico e Talca


       Sai de Santiago rumo a Rancagua, a viagem foi bem tranquila e custou 1.600 Pesos Chilenos. Em Rancagua começou minha peregrinação para encontrar um hostel custo-beneficio, os valores das diárias estavam em torno de 20.000 Pesos Chilenos e os mais baratos sem a mínima estrutura por 12.000 a 15.000 Pesos Chilenos, por conta disto tive uma certa dificuldade em encontrar um que se encaixasse nos meus requisitos: "Bom e Barato", depois de mais uma hora buscando encontrei um cujos donos era um casal de idosos de mais ou menos 80 anos, ela me fez por 12.000 Pesos Chilenos um quarto muito simples e com banheiro coletivo, o mais interessante nesse quarto era a presença de um penico para fazer as necessidades  fisiológicas a noite, hoje em dia nem se usa isso, acho que como eles eram velhinhos, achavam importante ter um penico nos quartos. Achei tão pitoresco que até fotografei!



       Rancagua tem uma população de mas de 220 mil habitantes e é conhecida como a Capital do Rodeio por ser a sede do campeonato nacional de rodeio que se realiza na Medialuna Monumental de Rancagua. Depois de uma noite hospedado, a dona do hotel disse que o mesmo estava a venda e queria saber se eu não gostaria de comprá-lo. Já me hospedei em vários lugares, mas esse foi a primeira vez que alguém me oferece isso. Depois dessa resolvi continuar minha viagem, tomei um ônibus para Curico que custou 3.000 Pesos Chilenos, a viaje durou um pouco mas de 3 horas e chegando na cidade fui dar uma volta pelo centro.


       Curico tem uma população de cerca de 130 mil habitantes e é conhecida pela Fiesta de la Vendimia, onde celebram a colheita da uva na Plaza de Armas, Após dar uma volta pela cidade tomei um ônibus para Talca onde paguei 1.100 Pesos Chilenos lá ficaria na casa de um amigo do couch, a viagem durou um pouco mas de 1 hora e 30 minutos, não foi muito tranquila porque o ônibus estava bem cheio,  penso que deveria ser feriado na cidade.


       Chegando em Talca meu couch furou, resolvi me hospedar num hostel perto da rodoviária que me custou 10.000 Pesos Chilenos com TV e banheiro no quarto mas estava cerca de umas 10 quadras da Plaza de Armas. Optei por ficar somente uma noite pois já bastaria para conhecer a Plaza de Armas e o centro que ainda havia alguns prédios destruidos pelo ultimo terremoto. A cidade tem um dizer bem pitoresco: "Talca, París, y Londres", não me pergunte  por que! Fiquei curioso e pesquisei no Google, e lá obtive a informação da cidade ser chamada assim porque em períodos de inverno, possui uma neve espessa e abundante como em Londres e em Paris. No dia seguinte peguei um ônibus para Concepcion que custou 5.000 Pesos Chilenos e durou cerca de 4 horas a viagem.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Santiago a Capital do Chile


Tomei um ônibus para Santiago que custou 1.800 Pesos Chilenos e a viagem demorou quase 2 horas e chegando em Santiago segui a dica de minha amiga Dilek que me indicou o Hostel Plaza de Armas que fica em frente a Plaza de Armas e custa 15 Dólares o quarto coletivo com 8 pessoas, banheiro coletivo, com Internet Wi Fi, Cozinha e café da manhã. Santiago é uma cidade praticamente plana cortada pelo rio Mapocho e tem uma população de mais de 5 milhões de habitantes, sendo a 53 cidade mais rica do mundo e andando na cidade vi muitos peruanos, bolivianos, equatorianos e colombianos que estão vivendo em Santiago por causa das melhores oportunidades de trabalho , a cidade tem 5 linhas de metrô com 94 km sendo quase o dobro da linha de São Paulo e so perdendo para a Cidade do México na America Latina.

Lugares para conhecer em Santiago: Parque  Forestal, Bolsa de Comercio, Cerro Santa Lucia onde se tem uma ótima vista da cidade e do lado esta o Centro Artesanal Santa Lucia (lembrando que o Chile o artesanato não é tão forte como muitos países da America do Sul), Plaza de Armas, Mercado Central e o Cerro San Cristobal onde você pode subir por um teleférico bem diferente que custa 1.400 Pesos Chilenos para ida e volta e somente ida custa 800 Pesos Chilenos e foi no Cerro San Cristobal que encontrei mais brasileiros e conheci um casal do GO e acabei almoçando (1.800 Pesos Chilenos) com eles no Bairro Bellavista e aprendi com eles a diferença da carne de boi e da vaca(boi é melhor e vai para a Europa e a carne de vaca tem mais gordura e fica no Brasil), outro bairro que pode ser um pouco interessante conhecer é o Bairro Brasil que tem esse nome pelas palmeiras e todo esse percurso eu fiz caminhando mais pode ser feito uma parte em metrô. Outros passeios que olhei em algumas agências de viagem é o City Tour Santiago (20.000 Pesos Chilenos) e não aconselho a fazer porque toda a cidade é possível fazer isso caminhando e o Sewell (45.000 Pesos Chilenos) que é uma cidade minera em plena cordilheira dos Andes e foi considerada como patrimônio da humanidade no ano de 2006 pela Unesco também tem o passeio Viña Concha y Toro (27.000 Pesos Chilenos) a historia do vinho no Chile começou no Século XVI quando os espanhóis chegaram com as primeiras cepas de vinho e hoje essa região é o principal exportador de vinhos da America Latina e também é uma das marcas de vinho mais tradicional estando em mais de 130 países, se você conhece um pouco de vinho tenho certeza que já bebeu o Casillero del Diablo feito por essa companhia. Cheguei em Santiago para ficar uma semana mais como a cidade não me chamou muito a atenção peguei a minha mochila outra vez e viajei para Rancagua

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Viña del Mar - O Balneário mais famoso do Chile



       Viña del Mar é uma famosa cidade balneária que tem uma população de mais de 330 mil habitantes, sendo uma das cinco cidades que compoem a conurbação da Gran Valparaíso e nasceu da fusão de duas fazendas que estavam divididas pelo que é hoje o rio que corta a cidade (Fazenda Las Sietes Hermanas e Fazenda Viña del Mar).


       Lugares para se conhecer em Viña: Cassino Viña del Mar, Relógio de Flores que foi construído para dar boas vindas á Copa do Mundo de Futebol de 1962 (ano que o Brasil foi vitorioso), Castelo Wulff, Parque Quinta Vergara, Jardim Botânico Nacional (que custa  1200 Pesos Chilenos) e para quem tem tempo e gosta de caminhar uma boa dica é pegar um ônibus até Reñaca ou se preferir ir caminhando até Reñaca e depois fazer o percurso pela costa até a cidade de Con Con (esse percurso eu fiz com um pouco mais de 1 hora entre Reñaca e Concon). Reñaca é um balneário de classe média chilena que se destaca pelos seus edifícios em forma de degrau dando uma arquitetura distinta se comparado com outros lugares do Chile e já Con Con tem cerca de 32 mil habitantes com algumas casas de arquitetura bem interessante, bem diferente de Reñaca onde predomina edificios modernos em forma de degraus. 



       Outra boa dica é pegar o Metrô e ir até Valparaíso, esse percurso é feito na superfície ( uma parter é feita em superfície e a outra subterrânea) e ao lado da Costa do Pacifico possibilitando uma vista muito agradável da região ou então pegar o Metrô no sentido oposto e ir até a última estação que é Limache que tem uma característica de um povoado da zona rural ou então baixar antes em Quilpue e dar uma volta pela cidade. Viña del Mar e Valparaíso apesar de hoje estarem juntas na conurbação (de coletivo demora cerca de 15 minutos e custa 400 pesos Chilenos) são cidades bem diferentes uma da outra em termos de arquitetura, vida noturna e etc, enquando Valpo apresenta algumas casas do estilo neo-clássico do século XIX, Viña é uma cidade nova com prédios mais modernos com sua arquitetura copiada da cidade francesa de Cannes, com em relação as praias Viña tem praias mais bonitas se comparadas com as de Valpo mas sempre lembrando que as praias do Pacifico não podem ser comparadas com as praias do Atlântico e que a água é super gelada mesmo que você chegue no verão. 

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Valparaíso a Cidade que mais gostei do Chile


       Valparaíso foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco em 2003 e é uma cidade portuária (sendo este, o porto mais importante do país) e também universitária, por conta disto apresenta uma movimentada vida noturna e cultural como o Museo a Cielo Abierto onde suas obras primas são pinturas feitas nos muros por reconhecidos pintores como Nemesio Antúnez e Roberto Matta, esse museu esta localizado no Cerro Bellavista que antes se podia chegar pelo Ascensor (elevador) Espíritu Santo mas infelizmente está desativado por falta de manutenção. Pode-se visitar também a Casa Museo La Sebastiana que foi residência de veraneio de Pablo Neruda (se não me engano a entrada custa 2500 Pesos Chilenos) mais se você não estiver interessado em entrar na casa vale a pena pelo menos conhecer seu jardim que é muito bonito e também não precisa pagar a visita. 


     A cidade é bem colorida tem uma distribuição em particular que lembra um pouco um anfiteatro de frente para o mar pois sua bahia  esta rodeada por uma cadeia montanhosa e com seus mais de 40 cerros (morros) e seus pitorescos ascensores (elevadores) que sobem os trilhos em diagonal aos morros (bem diferente dos elevadores do Brasil, pois nunca em minha vida olhei um elevador no Brasil no sentido diagonal), seu ascensor mais velho é o da Artilleria que foi construído no ano de 1893 e tem 175 metros, o mais novo é o ascensor San Agustin que foi construído no ano de 1913 e tem 55 metros, o valor da passagem é bem relativo vai de 100 Pesos Chilenos até 500 Pesos Chilenos. São cerca de 15 ascensores embora a maioria esteja desativa (os ascensores são como quase tudo no Chile não pertence ao governo e sim a iniciativa privada mas agora o município esta com um plano de revitalização desses ascensores e os estão comprando para colocá-los de volta ao funcionamento). 


       Outra atração pitoresta são os trolebus que segundo um amigo de Valpo (é como as pessoas de Valparaíso chamam a sua cidade) são os troles mais antigos do mundo e chegaram aqui por entre a década de 40 a 50.


      Lugares interessantes para se conhecer: Cerro Concepción e Cerro Alegre onde residiram as comunidades inglesa e alemã, Cerro Playa Ancha apesar de não ser muito turístico achei interessante e também foi onde residiu a comunidade inglesa, vale a pena andar sem destino por esse bairro e principalmente pela Avenida Grã Bretanha e depois  visitar o Mirador  Marina Mercante de lá pode-se ver praticamente toda a cidade e dá para tirar ótimas fotos a noite (só tome um pouco de cuidado se for a noite, apesar de não ser um lugar muito perigoso mas como o famoso ditado diz: "o seguro morreu de velho" pois lá fica um pouco deserto a noite) e se você não gosta de subir o morro caminhando pode-se pegar um ônibus na Avenida Playa Ancha que te levará até esse mirador (200 Pesos Chilenos), os miradores mais turísticos acredito que seja o Mirador Yugoslavo, Atkinson e o Gervasoni. Outro lugar interessante é o Paseo 21 de Mayo, se você tem tempo e é daqueles que gosta de conhecer a cidade caminhando (que é o meu caso), aconselho a chegar na Avenida Alemania e ir caminhando até a La Sebastiana onde você vai passar por vários miradores e poderá apreciar vistas muito bonitas da cidade. Se você precisa de um ponto de informação turística aconselho a ir no prédio da Duoc que os Portenhos chamam carinhosamente de "ratonera", dentro existe uma universidade que tem parceria com o governo e possui material e informação de todo o Chile ao contrario do posto de informação do governo que fica perto da Plaza Anibal Pinto que quase não tem material. 


     Um lugar que gostei muito foi a Laguna Verde que é um povoado que fica a uns 30 minutos de Valpo, tem uma praia muito linda e não tem turista, para chegar lá você precisa pegar o ônibus 520 que demora um pouco para passar. 




      Quanto a culinária o Sebastian de San Felipe me deu a dica de ir ao Los Porteños 2 e pedir uma Paila Marina ("gororoba" de frutos do Mar e você pode pedi seco ou como no da foto em forma de "sopa") que custa em torno de 3 "lucas" (gíria para dizer 3000 Pesos Chilenos) e se você gosta de um sanduíche uma boa dica é pedir o Catalana Italiano no Sibaritico que custa 1 "Luca" mas já vou avisando que tem a tal da "palta" (molho de abacate) dentro do pão,  para muitos de nós brasileiros achamos  um tanto exótico isso mas para falar a verdade somos minoritários pois do México para baixo toda a America Latina come abacate  misturando com arroz ou no pão e somente nós brasileiros comemos com leite e açúcar.

      A vida noturna de Valpo é super animada talvez por ser um cidade universitária, uma dica para quem gosta de conhecer lugares mais alternativos é o famoso Maskara que toca Rock e dependendo do dia custa de 1,5 "lucas" ate 3 "lucas" (o melhor dia é sábado e também o mais caro) e na sexta feira o lugar mais interessante é o Proa que toca Salsa, Cumbia, música Chilena e um pouco de tudo, para ser sincero essas músicas não são muito a minha praia mais o pessoal que frequenta é tão animado (principalmente depois que bebe umas) que vale a pena ir para conhecer. Depois das 3 da manhã quando quase 99% esta "para la de Bagda" o Proa começa a tocar músicas do Los Jaivas (que os chilenos chamam de "Pink Floyd Chileno") e ai você vai ver a galera animada que em vez de dançar começam a pular.

     Cheguei em Valpo para passar 3 dias onde fiquei na casa de um amigo do "Couch" Matias (vulgo Ricardão) mas gostei tanto da cidade e do pessoal da casa (Mauro e Matias) que acabei vivendo com eles um pouco mais de 1 mês e então dividia as despesas da casa (aluguel, água, luz, Internet, gás...) custava cerca de 40 "lucas" por 15 dias e confesso quando fui embora senti uma dor no coração pois me identifiquei muito com o lugar e também fiz muitos amigos como a Valeria, Ely, Matias( e seus amigos que sempre batem o ponto no Maskara) e o Mauro meu companheiro de Proa. Valpo é uma cidade com quase 300 mil habitantes e por causa da sua geografia acaba sendo compacta então em todos esses lugares que falei aqui no blog pode-se ir caminhando mas se você optar por pegar ônibus os preços vão de 200 a 400 Pesos Chilenos pois aqui você paga por percurso então quando tomar o ônibus (eles chamam de micro e o táxi eles chamam de coletivo) você tem que informa para onde vai ao motorista que também é o cobrador para ele te falar o preço.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

San Felipe



       Peguei um ônibus com destino a Santiago, desci no Pedágio Las Vegas e custou 4.000 Pesos Chilenos em seguida peguei outro ônibus que custou 1.000 Pesos Chilenos até San Felipe, onde  fiquei na casa do Sebastian que mora em uma república com mais 2 amigos Felipe e  Javier. No meu primeiro dia em San Felipe fui passear pela cidade com o Sebastian de bicicleta onde passamos por uma igreja que me chamou a atenção pelo seu tipo de construção (Igreja e Convento de São Francisco de Curimón que foi construído no século XVIII) e depois fomos a Viña Martel onde provei a Chincha chilena com uma típica empanada e depois a noite fomos a um show de música típica chilena da Patagônia onde cheguei a pensar algumas vezes que o cantor estava falando em outro idioma menos o espanhol pois não entendia nada do que cantava, comentei com meu amigo Sebastian e ele me explicou que o cantor era do sul do Chile e lá o acento era diferente e além disso o cantor também comia muitas palavras. 

       No segundo dia peguei um coletivo para Los Andes que fica uns 18 km de San Felipe e depois de passear pela cidade fui ao mirante onde tem a imagem de uma santa e tem uma vista muito bonita de toda a cidade e da Cordilheira dos Andes. Los Andes assim como San Felipe estão fora da rota turística do Chile mas é interessante conhecer lugares fora dessa rota pois assim você conhece um pouco mais a cultura do país e das construções bem típicas das cidade pequenas chilenas que em alguns lugares são casas de adobo. Aprendi um pouco com os meus novos amigos chilenos a sua cultura como o "Onze" que é como o chá da tarde onde é servido um pão ou biscoito e no meu último dia escutei o Javier tocando no violão um pouco de pagode e sertanejo e depois me disse que foi passar ferias em Santa Catarina e chegou pensando que ia ver muitas pessoas morenas e para sua surpresa todo mundo la tinha cara de alemão,rsrsr, coisas do Brasil!

Antofagasta e La Serena



       Peguei um ônibus de San Pedro de Atacama para Antofagasta às 8:10 hs e custou 5.400 Pesos Chilenos, a viagem durou cerca de 3 horas, chegando em Antofagasta fui dar uma volta pela cidade para conhecer melhor e passar o tempo já que meu ônibus para Copiapo somente sairia à meia noite. Antofasgata (apenas uma curiosidade o Trópico de Capricórnio passa perto da cidade) é a principal cidade do norte do Chile com uma população de 300 mil habitantes e já pertenceu a Bolivia mas até hoje existe um ponto de atrito entre os dois países pois para os bolivianos é uma questão de honra recuperar sua saída para o mar e como quase todas as cidade chilenas Antofagasta é uma cidade compacta, então aproveitei que tinha tempo e fui caminhando da rodoviária até o centro pela beira mar, onde passei pela Catedral, Barrio Historico, Paseo Del Mar que é um calçadão situado na beira do mar com cerca de 7 km de extensão e o Balneário Municipal que é uma praia criada pelo município na beira do Pacifico. Depois de passar o dia todo caminhando pela cidade voltei para a rodoviária caminhando e peguei meu ônibus para Copiapo que custou 11.000 Pesos Chilenos.

   Quando cheguei em Copiaco, meu "couch" que era um professor universitário boliviano acabou furando e então tomei outro ônibus para La Serena que custou 8.100 Pesos Chilenos, onde fiz uma viagem tranquila e agora finalmente a paisagem mudou quando estava chegando perto de La Serena a paisagem começou de zero verde para um muito pouco verde (bom depois do Equador toda a costa do Peru é praticamente um deserto e boa parte do norte do Chile também, então foram mais de 5 meses olhando somente um deserto com a mesma paisagem o tempo todo e agora com esse muito pouco verde que olhei na viagem confesso que fiquei emocionado), chegando em La Serena fiquei no Hostal Vergara situado perto da rodoviária e também um pouco perto da Plaza de Armas na calle Andres Bello, 991 e custou 7.000 Pesos Chilenos ma s recomendo ficar em outros hostels que estão na mesma rua e custam em torno de 7.500 Pesos Chilenos, acabei não procurando muito porque estava cansado, mas no outro dia vi que existiam melhores.

       La Serena é a segunda cidade mais antiga do Chile com uma população de 160 mil habitantes e hoje concorre com Viña del Mar com relação as praias mas procuradas pelos chilenos no verão (bom quando se fala em praias do Pacifico não fique muito empolgado pois geralmente ficam muito atrás das praias do Atlântico). La Serena é uma cidade bonita com um centro histórico bem interessante onde vale a pena caminhar um tempo sem destino, vale a pena também passar na Plaza de Armas e pegar um mapa e informações no posto de informação turísticas. Um dos destino mais turísticos de La Serena é o Valle del Elqui, onde você pode tomar um ônibus na rodoviária com destino ao povoado de Pisco e depois de descer andar cerca de 4 km para outro povoado chamado Los Nichos (se você não gosta de caminhar uma dica de uns amigos chilenos é que pode tentar uma carona que é muito fácil nessa região). No povoado existe uma Pisqueria chamanda Los Nichos que é uma das últimas Pisquerias artesanais do Chile, uma visita com um guia custa 1.000 Pesos Chilenos e ao final há uma degustação do Pisco artenasal. Bom, essas dicas foi um amigo chileno que me passou, infelizmente não cheguei a conhecer esse lugar porque passei 4 dias de cama com febre muito alta, então quando melhorei um pouco a primeira coisa que fiz foi pegar o ônibus e  viajar para a  próxima cidade.


Calama e San Pedro de Atacama


       Depois de comprar algumas "muambas" no Peru e matar a saudade dos "Chifas" (restaurantes Chineses) voltei para Arica e tomei um ônibus que custou 8.000 Pesos Chilenos (Frontera del Norte) para Calama, a viagem durou cerca de 6 horas. Calama foi uma cidade da Bolivia até 1879 onde foi facilmente dominada pelas tropas chilenas na Guerra do Pacifico e acredito que a maior atração da cidade além das oscilações de temperatura cujas noites são muito frias e os dias muito quentes, é a mina chamada de Chuquicamata que fica a 16km de Calama, é a maior mina de cobre do mundo mas infelizmente se encontra fechada para os turistas, em suas proximidades existe um povoado com o mesmo nome mas por conta da poluição proveniente da exploração da mina os  moradores locais mudaram para Calama e consequentemente virou uma cidade quase fantasma com um pouco mais de 1000 habitantes. Desta forma, quem vai visitar a região, tem que se hospedar em Calama cujos hotéis tem um preço um pouco salgado, de inicio fui até lá porque tinha a casa de um "couch" para ficar, mas este furou e tive que procurar um hotel. Depois de muita busca encontrei um no centro o Hotel  Pia (Av. Granaderos, 2148) que custou 10.000 Pesos Chilenos com Internet Wi Fi, banheiro coletivo e se pedir com "jeitinho" você pode usar a cozinha. Passei um dia em Calama e depois tomei um ônibus na rua Antogasta para San Pedro de Atacama que custou cerca de 2.000 Pesos Chilenos e durou 2 horas.

       Chegando em San Pedro fui procurar um hostel e quando entrei em um que se chama Hostal Sonchek (Calle G. le Paige,198, www.hostalsonchek.cl), acabei conhecendo o Filipe um brasileiro que também estava hospedado. Após uma boa conversa, pude matar as saudades de falar em português e resolvi ficar no mesmo quarto que Filipe que estava junto com mais 2 pessoas e custou 7.000 Pesos Chilenos. Após guardar minha mochila fui fazer um passeio com meu novo amigo até a Laguna Cejar, o passeio saia as 16 horas e custou a mera "facada" de 15000 Pesos Chilenos  mais a entrada que custa 2.000 Pesos Chilenos (um tanto caro para um mochileiro) e o interessante dessa Laguna é que devido a grande concentração de sal qualquer corpo que entrar vai flutuar sem o menor esforço, depois de dar uns mergulhos na água salgada cuja temperatura deveria estar por volta de uns 3°C, paramos para olhar o por do sol com direito a varias cores devido a diferença de materiais na formação do deserto e o passeio ainda inclui pisco e um lanche que posso dizer que possui um tempero especial: "tempero de mão", este achei melhor não provar.

       Outros passeios pelo Deserto do Atacama: Geisers del Tatio que custa 20000 Pesos Chilenos mais a entrada que custa 5.000 Pesos Chilenos; Laguna Altiplanicas e o Salar de Atacama 28.000 Pesos Chilenos mais a entrada que custa 5.000 Pesos Chilenos; Valle de la Luna que custa 8000 Pesos Chilenos mais a entrada de 2.000 Pesos Chilenos; Salar de Tara 44000 Pesos Chilenos, Valle del Arcoiris que custa 30000 Pesos Chilenos mais a entrada de 2.000 Pesos Chilenos, bom com esses preços nem preciso dizer que não fiz todos esses passeios, o que mais me interessou mesmo foi o da Laguna Cejar.

       No meu segundo dia aluguei uma bicicleta (dica leve pelo menos 1 litro de água) junto com o Filipe e fomos ver as ruinas pré- Incas de Pukara que fica a 3 km e se não me engano a entrada custou cerca de 2.000 Pesos Chilenos, e com a ajuda de um mapa que veio junto quando alugamos a bicicleta fomos conhecer outros lugares mas não foram tão interessantes como as ruinas pré-Incas.

       Quanto ao Deserto do Atacama e a cidade de San Pedro, apesar de serem lugares muito turísticos, não achei tão interessantes porque em primeiro lugar estou quase 5 meses viajando em uma região que é praticamente um deserto pois depois do Equador toda a costa do Peru e boa parte da costa do Chile  é praticamente um deserto então pagar um preço um tanto caro para fazer um passeio no meio do deserto é algo um pouco tosco para mim nessa altura de minha viagem de acordo com meu ponto de vista já que estou cansado de ver só deserto e sinto saudades de olhar o verde, e em segundo lugar apesar de San Pedro ser uma cidade com uma característica própria como casas de adobo e ruas de barro (para quem sofre de rinite, pode se preparar para a poeira!), coisas estas que para um viajante como eu não verá muita diferença do que se vê em algumas cidades brasileiras.

       A noite acabamos fazendo uma reunião no hostel para provar os vinhos chilenos e acho que acabei exagerando um pouco porque no outro dia fiquei de cama com uma ressaca doida e acabei não viajando, já meu amigo Filipe se despediu de mim e me disse assim "agora sei que você é brasileiros pois nos primeiro dia você me disse que era brasileiros mais toda vez que falava comigo so saia em espanhol e no máximo um portunhol e agora no terceiro dia o seu português esta bem melhor" (também são quase 5 meses sem falar português) e   seguiu para a Bolivia para o Salar de Uyuni. Quanto aos preços San Pedro de Atacama pode ser considerado caro para o Chile e um almoço econômico custa em média 3.000 Pesos Chilenos (depois de pesquisar bem eu encontrei um por 2.500 Pesos Chilenos que foi o que digo "BBB" (Bom, "Bonito" e Barato), mas se você estiver apertado tem um restaurante bem simples que custa 1.600 Pesos Chilenos só que não recomendo pois a higiene é bem precaria nesse lugar.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Iquique - Zona Franca Chilena

       Depois de 5 horas de viagem cheguei em Iquique e tomei um táxi coletivo (os táxi coletivos aqui são diferentes dos do Peru, são mais seguros, todos são cadastrados e sempre estão nas cores preta com amarela) que custou 500 Pesos Chilenos para o centro da cidade onde o meu guia indicava como sendo um ótimo lugar para se hospedar, bom e barato, diferente do outro lado da cidade onde estão as praias, portanto mais turitico e mais caro. Desci do táxi e então começou minha peregrinação a procura de um hostel pois todos apesarem de serem caros e um pouco sujos não tinham vagas, dificil de acreditar! Estava a mais de uma hora caminhando a procura de um lugar pra dormir com as mochilas nas costas e já se passando das 12 horas da noite, já estava sem esperanças, estava no centrão da cidade e olhava em volta e via um lugar como a cracolândia de minha querida Sampa, onde havia todos os tipos de "figuras" na rua como mendigos, delinqüentes, prostitutas, pessoas na praça se drogando, então encontrei uma prostituta na rua que me perguntou o que estava procurando e depois de falar que queria um hostel ela me indicou um e havia vagas, graças a sua dica pude descansar, ele não era muito econômico, 10.000 Pesos Chilenos (Hotel Amancaes, rua Bolivar,752) mais como estava difícil encontrar um, fora o perigo que estava lá fora não pensei duas vezes em ficar. 

       Meu próximo desafio estava por vir: procurar um lugar para comer, estava famindo, não havia almoçado naquele dia, comecei a caminhar a procura de um restaurante aberto e cuidar para não ser assaltado, mas quando estava caminhando uma gangue de cachorros com mais ou menos uns 20 (de todas as raças como Pastor Alemão, Husky Siberiano, Poodle...) começaram a correr atrás de mim e por sorte encontrei um restaurante chinês aberto que me salvou dessa gangue sem escrúpulos que estava sendo chefiada por um Poodle e da fome que estava terrível já estava me sentindo fraco.  Pedi todo contente meu prato, já que no Peru os restaurantes chineses eram fartos com pratos com quase 1 kilo de arroz com carne, mas para minha tristeza a comida foi muito pouca com duas colheres de arroz e um pouco de carne, então voltei triste para o hotel e ainda para piorar a prostituta que me informou do hotel veio atrás de mim querendo dinheiro pela informação, essa era o que me faltava para terminar o dia! Depois de todo essa aventura fui finalmente dormir. 

       No outro dia a primeira coisa que fui fazer foi procurar um hostel em um lugar mais seguro, encontrei um por 10.000 mas depois de uma rápida negociação consegui por 6.000 Pesos Chilenos (Hostal Sunset Beach, Calle Vivar, 1770, www.hostaliquique.cl) com Internet Wi-Fi, cozinha e banheiro coletivo, próximo a praia e em um lugar mais tranquilo onde poderia andar a noite com segurança,  o mais interessante foi que o dono falava português pois morou em Sampa por muito tempo.

       Iquiques tem uma população de cerca de 220 mil habitantes , onde tem a Zona Franca (Zofri) que pode se chegar de ônibus ou de taxi coletivo e custa entre 500 a 600 Soles Chilenos, fui todo contente até a Zona Franca achando que iria comprar coisas com preços melhores do que a do Peru, mas  decepcionei pois não achei os preços muito interessantes. O que mais gostei da cidade foram as casas coloniais de madeira que lembram muito alguns paises da Europa como a Inglaterra, a cidade também tem um beira mar muito bonita e o Parque Cavancha que tem alguns jacarés, alpacas  com entrada gratuita, tem também um importante cassino e  um posto de informações turisticas onde você pode adquirir um mapa da cidade e tudo isso esta perto da praia Cavancha e também no centro existem algumas agências de turismo com um preço bem salgado e o passeio que fiquei mais interessado foi o da laguna roja que custa 90.000 Pesos Chilenos (90 lucas!! wow) mais também tem o passeio do Oasis de Pica e Salitreras que custa 19.500 Pesos Chilenos e mais alguns que você pode pesquisar nesse site www.magicaltourchile.blogspot.com


       Depois mudei para o Backpack Hostel Iquique (6.000 Pesos Chilenos un quarto para 6 pessoas com Internet Wi Fi e banheiro coletivo) que fica na calle Amunategui,2071 que esta perto da praia Cavancha e la conheci um brasileiro gente boa chamando William que foi me convidar para um churrasco com os seus amigos franceses mais estava falando um espanhol com um sotaque muito forte do interior de São Paulo ai perguntei para ele misturando português e espanhol se ele era brasileiro e ele me respondeu e você é português ( por causa do meu portunhol pensor que era português... ), aconselho a ficarem nesse hostel pois sempre tem uma turma animada e 3 vezes por semanas tem churrasco com vinho (5.000 Pesos Chilenos, os Churrascos que fazia com o William saia em torno de 3.500 Pesos Chilenos) e no meu ultimo dia fizemos um churrasco e depois saímos em uma turma de umas 9 pessoas ( de todas as nacionalidades) e so voltamos as 7 da manhã.

      Depois de alguns dias na cidade voltei para Tacna no Peru para comprar algumas coisas na Zona Franca e uma câmera fotográfica que havia visto mais barato por lá. Algumas atrações de Iquique são a Torre del Reloj que foi construida em 1877 com madeira trazida direto do Canadá e Inglaterra; o Teatro Municipal que tem uma fachada de estilo Neo-clássico com quatro figuras femininas que representa as quatro estações do ano; o Paseo Baquedano que é uma rua cerca da Praça Prat que teve o seu início quando a cidade pertencia ao Peru e suas casas são do seculo XIX construidas com madeira (Pino Oregon) com estilo Georgiano, onde a aristocracia da época morava e a praia Cavancha que esta perto do centro e de onde fiquei e para quem gosta de pegar umas ondas acredito que seja um bom lugar para isso.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Arica - Chile


        Cheguei em Arica às 2 horas da tarde, no início me senti um pouco perdido por conta do fuso horário, o Chile esta duas horas a mais do que o Peru, igualando ao horário brasileiro (quando não se esta no horário de verão). A viagem de Tacna para Arica foi tranquila e no ônibus havia somente peruanos que trabalham no Chile com a exceção de uma chilena que sentou do meu lado e fomos conversando até Arica, sorri muito durante nossa conversa principalmente depois dela ter me contado que sua viagem de Lima a Tacna sentou uma pessoa muito gorda do seu lado e ocupou metade do seu assento, então ela viajou cerca de 20 horas no maior desconforto, depois de tanto sorrir dela não sabia o que me esperava pois na próxima viagem sentou uma gordinha do meu lado que fez a mesma coisa, tive que enfrentar 5 horas no aperto e ainda aguentar o cheiro dos gases que soltava. 


       Chegando em Arica já pude sentir diferenças entre Peru e Chile, além do fuso, é claro,  quando desci do ônibus um taxista muito educado veio me oferecer o seu serviço e como falei que não, ele repondeu com "gracias" ai fiquei sem acreditar já fazia uns 3 meses que não escutava essa palavra, em seguida fui procurar um ônibus para Iquique, comprei a passagem que custou 5000 Pesos Chilenos (a passagem vai de 5000 a 7500 isso vai depender da empresa e da época, em feriados e alta temporada é mais caro), deixei minha mochila na agência de ônibus que comprei a passagem tomei um coletivo (700 Pesos Chilenos) para o centro de Arica e desci perto do Mc Donalds


        Arica ja pertenceu ao Peru e hoje tem 180 mil habitantes, foi pelo porto de Arica que saia toda a prata de Potosi (Bolivia) com destino a Europa, em 1868 a cidade foi praticamente destruída por um terremoto de 8,5  Graus na Escala Richet seguido por um Tsunami (para se ter noção o recente terremoto de 11 de março que afetou o Japão foi de 7 Graus). Depois de andar um pouco pelo centro fui caminhando ao Morro de Arica que foi um lugar estratégico na Guerra do Pacifico e até hoje tem alguns canhões e trincheiras que foram usadas, lá  também se encontra um museu histórico e um Cristo que eles chamam de "El Cristo de La Paz", o mais interessante do Morro sem dúvida é a vista que se tem de toda a cidade. 


       Bom, a primeira impressão que tive do Chile é que aqui eles não falam espanhol, as vezes penso que falam japones ou chinês bom ainda não consegui identificar esse idioma falado aqui, só sei que não entendo nada do que eles falam (rsrs), a outra impressão que apesar de Arica não ser digamos a cidade mais importante do Chile da para notar que o país tem um bom desenvolvimento econômico, outra impressao que tive é que como estava pensando em Soles agora tudo que compro comparo com o Peru e a "facada" é grande, as coisas são mais caras do que estava acostumado, por isso, para não me assustar, comparo os preços com o Brasil que é o pais mais caro da America do Sul.